CidadeToms River Continua Assombrada Por Filme de Terror

CidadeToms River Continua Assombrada Por Filme de Terror
A casa, imortalizada no filme de terror de Stuart Rosenberg, em Toms River. Fotografia © Asbury Park (N.J.) Press

 

Mais de três décadas após a rodagem de Amityville – A Mansão do Diabo, a cidade norte-americana continua a fazer exigências que afastam os produtores cinematográficos.

“As casas não têm memórias”, disse George Lutz (James Brolin) à mulher Kathy (Margot Kidder) quando o agente imobiliário revela ao casal que a casa que estão prestes a comprar, por tão bom preço, fora palco de um crime violento. Esta deixa, do filme Amityville – A Mansão do Diabo (1979), não se pode aplicar à cidade onde o filme foi rodado, Toms River, a cerca de 110 quilómetros a sul de Nova Iorque. Em 1982, após as rodagens de uma sequela do filme, o então Comité Municipal de Dover adotou medidas que proibiam que se voltassem a fazer filmes em todas as áreas residenciais da cidade. E mais de três décadas depois, Toms River mantém exigências e burocracias aos produtores cinematográficos, em nome da tranquilidade dos habitantes.

O crime violento que teve lugar na casa que foi imortalizada em Amityville não foi somente uma história de cinema, mas algo bem real. Cinco anos antes do filme se ter concretizado, Ronald DeFeo Jr., então com 24 anos, conhecido também pelo apelido Butch, matou os pais, dois irmãos e duas irmãs em casa. Os seis foram encontrados mortos, deitados no chão com as mãos sobre a cabeça.

 

DN

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *